6.11.11

Desculpe pela demora!

Não sei onde, quando, nem o porquê.
Mas abri meus olhos
e vi que os seus têm um brilho especial.
Não sei porque demorei tanto ver você.
Talvez porque você sempre esteve perto.
Talvez eu sempre estive focada demais no meu mundinho.
E não percebi sua presença constante.
Seu sorriso sempre aberto,
sua mão sempre estendida.

E você sempre esteve ali...
Nas alegrias, nas tristezas
e acredite, até mesmo na distância você se fez presente.

Você e seu olhar carinhoso, seu carisma.
Você com seu jeito de gostar de todo mundo.
Eu não vi.
Não vi você.
Não vi seus olhos brilhantes.

Mas um dia eu me desliguei do meu mundo
abstrair meus problemas
e ouvi você...
E pela primeira vez em quase 10 anos
eu reparei cada detalhe do seu rosto
e fui gravando em mim o timbre da sua voz.

E nesse mesmo dia eu sonhei que você caia de um abismo
eu gritei seu nome.
E nesse dia eu tive medo de perder você.

Eu literalmente acordei!
E não sei dizer o que estou sentindo
além das borboletas no estômago que há anos não sentia.

(Juh Meireles)

Um comentário:

Luana Pagung disse...

Olá Juh.
Que texto bonito, demonstra um sentimento muito sincero, e por isso, lindo.

p.s: Fiquei muito feliz com o seu comentário, com ele pude também conhecer o seu cantinho, e estou encantada.
Obrigada pelo elogio, visita e pelo gesto tão atencioso lá no blog. Seja bem-vinda sempre que desejar voltar.