9.10.11

Faxina!

E de repente (não tão de repente assim), a gente passa a desacreditar nas pessoas... E perde a coragem de amar, ou passa amar pela metade. A gente passa a ser pela metade.
Por que a gente vai se despedaçando vida a fora... E deixando páginas em branco, histórias inacabadas, reticências em vez de ponto final... Ou muito ponto final em vez de reticências...
A partir de hoje eu quero fechar ciclos... Pôr pontos finais definitivos (de concreto se possível).
Não faz bem acumular entulhos no coração...
Hoje enquanto arrumava algumas coisas percebi, que é preciso se livrar do velho pra dá espaço ao novo... Seja roupa, seja sapato, seja um amor... Ou até mais simples que isso, livrar-se dá tristeza pra ter alegria e cessar as lágrimas pra que venham os sorrisos... Não dá pra amontoar tudo e achar que está bom... Não adianta esconder a sujeira de baixo do tapete ou colocar a bagunça no guarda-roupa e fingir que o quarto está em ordem...
Hoje eu abri as portas e gavetas da minha vida, levantei os tapetes, e achei os meus "amores", minhas "paixonites", alguns velhos amigos, algumas magoas, fotos, iniciais de nomes de pessoas que eu julguei importante pra minha vida... De baixo do tapete tinham versos meus, letras soltas que um dia fizeram sentido, recortes de jornais, bilhetes de cinema, papeis de bala, flores que eu ganhei e coraçõezinhos de papel. Olhando toda aquela tranqueira, revi cada história, e fui colocando os pingos nos "i's" do meu jeito, na minha cabeça... Sem tentar entender o porquê disso ou daquilo. Fui pondo os pontos finais onde já devia ter há muitos anos. E tentei recolher meus pedaços. Olhando daqui, de (lugar nenhum) aonde estou, vi que tive muita culpa, se eu tivesse jogado fora enquanto ainda era tempo, nada teria chegado ao ponto que chegou. Não durariam anos com durou.
Varri tudo que estava em baixo do tapete e limpei as gavetas. ESVAZIEI-ME!
Vai tudo por lixo, até aquele sapato que me faz sangrar...
Pode deixar a mobília vazia, de portas e gavetas abertas pra tirar o cheiro de mofo.
Deixa assim, vazio...
E me deixe aqui, deitada no chão do meu quarto, olhando pra o teto branco e inspirando paz!

(Juh Meireles)

"Porque guardar roupa velha dentro da gaveta é como ocupar o coração com alguém que não lhe serve. Perca de espaço, tempo, paciência e sentimento. Tem tanta gente interessante por aí querendo entrar. Deixa. Deixa entrar: na vida, no coração, na cabeça." (Caio Fernando Abreu)

3 comentários:

Vitinho Borges disse...

NOssa!
Pra mim vc se superou nesse texto!
Li e me senti em cada palavra.
Te amo amigaa ..

Bjos

Marcinha disse...

Lindíssimo Juh! Sem mais comentários!

Juh Meireles disse...

Obrigada gente...